Fim de ano saudável

ceia

O final do ano é marcado por festas, viagens e confraternizações. E para muitas pessoas isso significa fuga da dieta, o que traz medo de perder os resultados alcançados e maior dificuldade para alcançar objetivos futuros.

Se houver algum deslize no plano alimentar sugerido pelo profissional, é preciso desmistificar essa concepção de que com o erro nenhum objetivo planejado poderá ser alcançado. O segredo para qualquer resultado é o equilíbrio, devendo levar em consideração não apenas o equilíbrio nutricional presente na dieta, mas também o equilíbrio mental, evitando o terrorismo nutricional de certos alimentos e melhorando a aceitação do consumo desses eventualmente. Resumindo, é necessário lembrar que todos somos seres humanos que erram e podem aprender a como encarar esses erros e seguir em frente.

As dietas muito restritivas devem ser evitadas, principalmente o pensamento restritivo que elas representam. O paciente pode entrar em um ciclo vicioso que inicia por uma forte restrição alimentar  levando à frustração e tristeza (por não estar consumindo o que gosta). O efeito inverso pode ocorrer aumentando o desejo pelo “alimento proibido”, gerando descontrole, exagero, culpa e ganho de peso gordo. Assim a consequencia é a insatisfação corporal e então a retomada à dieta restritiva,  reiniciando todo o processo distorcido.

É preciso celebrar a comida sem medo e sem culpa, realizando uma mudança alimentar com foco no aprendizado , inserindo novos alimentos e reconstruindo uma relação saudável com eles. “O ser humano se nutre de alimentos e sentimentos” (Sophie Deram). Isso se reflete principalmente em épocas de celebração como o fim do ano, em que a família inteira se reúne em torno de mesa farta , composta de alimentos deliciosos assim como de sentimentos e lembranças.

Com essa consciência da importância do equilíbrio e de valorizar o momento da refeição, aproveitando-o, é possível nessas comemorações procurar opções diferentes e variadas, podendo inclusive se deliciar com escolhas a seu gosto e outras mais saudáveis. Além de procurar por essas alternativas, é necessário valorizar cada ingrediente presente nos pratos típicos e evitar o excesso. Quando a relação com a comida melhora e essa é degustada com maior cuidado e atenção, consequentemente estará a favor da  saude ao se beneficiar de todos os nutrientes sem a necessidade de exagerar na quantidade ingerida.

Teresa Sena

Nutricionista

Equipe LC Saúde

Referências:

DERAM, S. O peso das dietas. São Paulo: Sensus, 2014.

Hruby, A.; Hu, F.B. The Epidemiology of Obesity: A Big Picture. Pharmacoeconomics. 2015 Jul; 33(7): 673–689.

http://www.nytimes.com/2012/02/08/dining/mindful-eating-as-food-for-thought.html

http://www.brasilpost.com.br/sophie-deram/comer-com-prazer-ajuda-a-_b_7776786.html