Náuseas e Vômitos na gestação

As náuseas e vômitos afetam cerca de 80% das gestantes sendo mais comuns entre a 7ª e a 14ª semanas de gestação.

Esse quadro pode interferir negativamente nas relações psicossociais da mulher. Pode resultar, também, em uma baixa ingestão de nutrientes importantes e em escolhas alimentares inadequadas.

Não se sabe ao certo as causas exatas desses quadros, mas os estudos apontam como algumas possíveis razões os níveis elevados de HCG, progesterona, além da deficiência de vitamina B6 e aumento dos níveis de estradiol materno e de origem fetal. Esse último poderia explicar a maior incidência de náuseas e vômitos em gestações de fetos femininos.

Sendo assim, algumas mudanças nos hábitos alimentares podem ajudar. Tais como:

– Não ficar de estômago vazio por muitas horas;

– Fazer refeições menores com intervalos de 2 a 3 horas;

– Beber pequenas quantidades de água ao longo do dia e não ingerir líquidos durante a refeição;

– Alimentos sólidos e secos, cítricos e gelados costumam ser melhor tolerados;

– Evitar alimentos ricos em gordura, açúcar e muito condimentados;

– Evitar deitar-se logo após a refeição.

Junto com o Nutricionista, é possível a utilização do extrato seco de gengibre e da vitamina B6. Já se tem uma vasta comprovação científica sobre a EFICÁCIA e SEGURANÇA. Ambos atuam na redução das náuseas e vômitos e são considerados primeira linha de intervenção não medicamentosa.

MARQUES, N.; SERPA, F.; TEIXEIRA, M. Nutrição Funcional: da Fertilidade à Gestação. 1ª. ed: Valéria Paschoal Editora Ltda., 2018.