Sol e vitamina D, uma relação de amor e necessidade!

vitamina D

Como está a concentração de vitamina D no seu sangue? Seu nutricionista já conversou com você sobre isso? Você sabia que cerca de um bilhão de pessoas no mundo são deficientes em vitamina D  e você provavelmente se encaixa nessa estatística?

A deficiência de VITD é um fator de risco independente para mortalidade na população em geral e é muito conhecida por trazer consequências para a saúde óssea. Porém novas condições vêm sendo associadas à função muscular, alergias, depressão, diabetes, ao desenvolvimento de câncer, doenças cardiovasculares, autoimunes, neurodegenerativas e complicações na gravidez.

VITD é uma vitamina lipossolúvel que na sua forma ativa age como um hormônio (ou seja, tem implicações no organismo como um todo). Para nós humanos, ela é proveniente em 90% da exposição solar aos raios ultravioleta B (UVB) e somente em torno de 10% a partir da dieta.

Infelizmente só se expor ao sol (sem virar carvão !) pode não ser suficiente porque o uso de protetor solar 30 aplicado corretamente reduz de 90 até 99% a habilidade da pele de produzir VITD. Pessoas com a pele mais escura tem eficiência 90% menor na produção comparados a indivíduos com pele clara. Idosos pior ainda, eles estão em risco aumentado porque a concentração de 7-dehidrocolesterol na sua pele é reduzida, e, portanto, a síntese de VITD não é tão eficiente. Além disso, seu estilo de vida costuma propiciar mais tempo em ambientes fechados e ingestão inadequada da vitamina pela alimentação.

Nas mulheres no período do climatério (período que antecede a menopausa) os efeitos da deficiência são ainda mais danosos, pois contribuem com os riscos já elevados inerentes às variações hormonais, sofrendo mais com osteomalácia, osteoporose, quedas e fraturas.

A suplementação parece ser um recurso e tanto nesse cenário. Ela já é bem estabelecida como uma prática segura e comprovada por estudos bem desenhados. Se acompanhada por prescrições individualizadas é eficiente em diversos grupos etários e promove resultados muito positivos em diversos âmbitos.  Principalmente quando se trata da saúde da mulher idosa ou no período do climatério, a suplementação parece influenciar grandemente variáveis como força, resistência muscular, barrando a perda de massa muscular (sarcopenia) refletindo em manutenção e incremento de equilíbrio e disposição.  Ou seja, quando o assunto é qualidade de vida, capacidade física e longevidade, a VITD parece ser um fator imprescindível e que deve ser considerado pelo nutricionista e por toda equipe de saúde.

Larissa Cerqueira

Nutricionista Esportiva

CRN1-5674

Referências

1- C.M. Bentes, et al., Can Vitamin D supplementation alone effective to increase a physical
fitness levels in postmenopausal women with metabolic disorders? Brief Review, Diab Met Syndr: Clin Res Rev (2017), http://dx.doi.org/10.1016/j.dsx.2017.08.010

2- Vogt, Barbara Perez Effect of vitamin D supplementation and intra dialytic aerobic training on muscle function and body composition in maintenance hemodialysis patients. Tese apresentada à Faculdade de Medicina, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Botucatu, para obtenção do título de Doutora em Fisiopatologia em Clínica Médica . Publicada em 2017-02-17